Follow by Email

sexta-feira, 24 de maio de 2013

SEGUNDO DIA:


A visita de hoje foi para dois idosos tendo 82 e 90 anos, e um jovem com transtorno mental, que moram juntos, e chegou no CREAS através de uma denuncia, pois o responsável pelos três é filho da idosa, porém o mesmo não mora com eles.
Nesta visita fui com o educador social, ao chegarmos a porta da frente estava trancada quem nos recebeu foi a idosa que estava aparentemente bem, porém ao conversarmos foi notada tristeza e ela chorou muito ao relatar que não ter amizades com a vizinhança, e que não sai de casa, pois disse que seu filho que sofre de transtorno mental tem um “caso” com uma vizinha e que esta furtou suas coisas, por isso a porta trancada, e disse que suas filhas moram longe e não gosta de sair sozinha nem pra ir para a igreja. A mesma relata ainda que ela própria que realiza os afazeres de casa e faz a comida, porém informou que o outro seu filho que é o responsável pelas compras que traz os alimentos toda semana.
Após um tempo o outro idoso chegou, com vários cortes nos pés, e inclusive um na cabeça. Fiquei muito preocupada com ele, mas a idosa foi logo nos dizendo que ele não para quieto, e por isso cai demais. O Senhor não fala muito, parece que já não é tão são da realidade, estava muito sujo, e devido a sua idade, tem uma curvatura o que dificulta o mesmo a andar.
Conversei um pouco com o jovem que sofre de transtorno mental, o mesmo não é muito sociável, fica em um canto só observando, já foi internado em uma clinica psiquiátrica, ele nos conta que não tem um “caso” com ninguém, e que não conhece nem os vizinhos, sua mãe colocou isso na cabeça e já tentou até se matar, colocando a corda no pescoço.
Quando saí da casa dos três, fui até o responsável legalmente por eles, e o mesmo não mostrou muito preocupado com o bem estar deles, muito pelo contrário, só se interessa pelo dinheiro, pois ele recebe o aposento dos dois idosos, e agora vai receber o BPC do jovem. Ao ser indagado como é o relacionamento com eles, o mesmo informa que vai lá pra deixar a comida, o remédio sua esposa vai de vez em quando arrumar a casa. O mesmo foi orientado sobre a situação de sua mãe que está bastante triste e se sentindo sozinha, cabendo a ele sair com ela, leva-la para ver as netas, conversar. E que o outro idoso precisa de mais cuidados, pois ele esta muito machucado por causa de quedas, e que ele deveria acompanha-lo quando ele quiser sair.
Ao sair encaminhei a idosa para o grupo de idosos do CRAS, para que a mesma se socialize novamente e queira sair, conversar, pois será de suma importância para uma velhice mais digna. E encaminhei o jovem para o CAPS já que o mesmo nunca mais fez exames, e seu tratamento esta sendo apenas medicamentoso, e ele precisa se socializar também. E encaminhei também os dois idosos para o medico geriatra para fazer exames.
Falar-se nos direitos das pessoas idosas é cuidar-se dos direitos daqueles seres humanos a quem tudo devemos. São eles os responsáveis pelos ensinamentos que colhemos ao longo da vida e também pelas boas realizações do mundo e da humanidade. Dentre os direitos específicos dos idosos podem-se relacionar o atendimento preferencial, imediato e individualizado junto a órgãos públicos e privados prestadores de serviços à população; o direito de ser bem cuidado e atendido por sua própria família, em detrimento à internação em asilos; o direito de receber pensão alimentícia de seus familiares e, na ausência destes, de ter suas necessidades básicas satisfeitas pelo Governo; o direito de receber do Poder Público, gratuitamente, medicamentos e outros recursos relativos ao tratamento de saúde; o direito de não ser discriminado nos planos de saúde pela cobrança de valores diferenciados em razão da idade, dentre outros (CABRAL).

Nenhum comentário:

Postar um comentário